O Preço da Coragem

A Mighty Heart (2007)

Direção: Michael Winterbottom
Elenco: Angelina Jolie, Dan Futterman, Archie Panjabi, Mohammed Afzal
Sinopse: Uma mulher grávida passa por maus bocados ao descobrir que seu marido jornalista foi sequestrado por um grupo terrorista enquanto fazia uma matéria no Paquistão.

[Drama]

>>> Excelente. Winterbottom mostra uma habilidade única com a câmera de mão. As cenas não se concluem, mas são montadas de tal forma e com um ritmo tão envolvente que o espectador facilmente capta o que pode ter acontecido entre um corte e outro. E ainda tem Angelina Jolie maravilhosa como a mulher que quer entrar em desespero mas ao mesmo tempo tem de manter o controle e a saúde do filho na barriga até que o pesadelo termine.

Filme: 8.0
Extras: 7.0 – Uma visão mais detalhada da história e relatos de perseguição a jornalistas ajudam muito na apreciação do longa.

{{Curiosidades}}
– Baseado no livro de Marianne Pearl.
– Originalmente financiado pela Warner, mas depois que a empresa largou o projeto, Paramount Vantage assumiu.
– Brad Pitt se inspirou a gravar a história de Marianne Pearl quando viu sua entrevista na CNN enquanto a busca pelo marido ainda acontecia.

Sobre Café e Cigarros

Coffee and Cigarettes (2003)

Direção: Jim Jarmusch

Elenco: Roberto Benigni, Steve Buscemi, Iggy Pop, Tom Waits, Cate Blanchett, Jack White, Meg White, Alfred Molina, Steve Coogan, RZA, Bill Murray, Steven Wright

Sinopse: Um filme dividido em vários segmentos onde diversos personagens conversam tomando café e fumando cigarros.

[Comédia]

>>> No começo o espectador não está muito preparado para o formato do filme e nem para os diálogos despretenciosos, então é possível que um segmento se passe sem que se perceba onde o longa quer chegar. Mas, uma vez que decola, diverte pelas conversas inusitadas e situações promissoras, e oscila entre as esquetes ruins (segmento “Estranho Conhecê-lo”), cult (da mulher que não quer um refil), irônicas (Alfred Molina pedindo emprego a Steve Coogan), divertidas (Bill Murray com RZA e GZA), nonsense (“Jack Mostra a Meg o Tesla Coil”) e estranhas (“Sem Problemas”), mas, no fim tudo funciona junto e  a curta duração das esquetes fazem o filme passar voando. O destaque vai, é claro, para o segmento “Primas”, onde Cate Blanchett contracena com… ela mesma! Demais, demais.

Filme: 8.0

Extras: Não Há

{{Curiosidades}}

– Este filme foi feito ao longo de 17 anos. A cena de Roberto Benigni e Steven Wright foi gravada em 1987. O segmento de Tom Waits e Iggy Pop foi gravado em 1992.

– RZA e GZA são muito preocupados com a saúde, então eles bebem chá ao invés de café no filme.

– Jim Jarmusch geralmente não precisava de mais de dois ou três takes para cada cena do filme, onde os atores improvisavam parte das conversas.

– O segmento com Cate Blanchett foi gravado em dois dias. Em cada dia ela fez uma personagem.

Confidencial

"Phillip Seymour Hoffman? Quem é esse?"

"Phillip Seymour Hoffman? Quem é esse?"

Infamous (2006)

Direção: Douglas McGrath
Elenco: Toby Jones, Sigourney Weaver, Gwyneth Paltrow, Sandra Bullock, Isabella Rossellini, Jeff Daniels, Daniel Craig, Lee Pace
Sinopse: A história do escritor Truman Capote e seu envolvimento muito íntimo com o caso de assassinato que o inspirou a escrever o livro “A Sangue Frio.”

[Drama]

>>> Condenado a sobrar nas prateleiras por ter sido rotulado de “primo feio” do filme Capote (2005), de Bennet Miller, este filme não merece ser esquecido. Enquanto Capote se foca na investigação do crime em si, Confidencial se preocupa mais em acompanhar os sentimentos e reações de todos os afetados pelo crime, direta e indiretamente. Um filme que serve ao seu propósito de transformar quem assiste num espectador de relações humanas, deixando a “burocrática” parte da resolução do crime para seu primo envernizado, que nem por isso é menos interessante. Isso sem falar no elenco caprichado que conta com os nomes relacionados mais acima e outros, muitos outros.

Filme: 8.0
Extras:

{{Curiosidade}}
– Mark Wahlberg iria interpretar Perry Smith, mas desistiu e foi substiruído por Mark Ruffallo, que também largou o projeto.

Nunca é Tarde Para Amar

"Não, não estou rindo, é o Botox."

"Não, não estou rindo, é o Botox."

I Could Never Be Your Woman (2007)

Direção: Amy Heckerling
Elenco: Michelle Pfeiffer, Paul Rudd, Saoirse Ronan, Jon Lovitz, Tracey Ullman
Sinopse: Uma produtora de TV de 40 anos se vê as voltas ao se apaixonar por um membro do elenco de sua série de TV que é muito mais jovem que ela.

[Comédia Romântica]

>>> Começa estranho com um discurso da Mãe Natureza, e faz o espectador erguer a sobrancelhas. Felizmente, a personagem logo se encaixa na trama e se torna um alívio cômico descolado. Além do mais, o filme funciona por ser uma das poucas comédias românticas que mesclam boas atuações e críticas meio ácidas a sociedade e fazer isso bem. A química dos inspiradíssimos Michelle Pfeiffer e Paul Rudd funciona e gera bons momentos que, juntos com outros excelente personagens e certas situações – por que não? – cult garantem a distração pelas quase duas horas.

Filme: 8.0
Extras: Não Avaliados

{{Curiosidades}}
– A personagem de Pfeiffer tem 40 anos, mesmo que ela tivesse 47 na época das filmagens. Paul Rudd tinha 36, embora seu personagem tivesse 29 fazendo um adolescente na série de TV que acontece dentro do filme. A mais incrível, porém, foi Stacey Dash, que interpreta uma adolescente na série dentro do filme mas tinha 40 anos na época das gravações.
– Lançado diretamente em dvd.

Instinto Secreto

"Não ouça nada que o cara de saia está falando."

"Não ouça nada que o cara de saia está falando."

Mr. Brooks (2007)

Direção: Bruce A. Evans 
Elenco: Kevin Costner, Demi Moore, William Hurt, Reiko Aylesworth
Sinopse: Um homem bem-sucedido com uma família construída precisa controlar seu desejo de assassinar pessoas e, quando cede, precisa cobrir suas pistas com maestria.

[Suspense]

>>> Uma história bem construída que faz o possível para fugir de clichês e das soluções fáceis, a começar pelo rumo inusitado que a trama vai assumindo. No final, contudo, escorrega e foge um pouco do perfil, mas dá um jeito de voltar nos trilhos, mesmo que o final acabe não soando tão brilhante quanto originalmente havia se proposto. E ter William Hurt como a “consciência perversa” de Kevin Costner também não é nada de ruim, além de Demi Moore completando o elenco de veteranos. Diversão das boas.

Filme: 8.0
Extras:

{{Curiosidade}}
– De acordo com entrevistas de Kevin Costner, este teoricamente é o primeiro filme de uma trilogia.

Ligeiramente Grávidos

"Hmm, ele puxou você."

"Hmm, ele puxou você."

Knocked Up (2007)

Direção: Judd Apatow
Elenco: Katherine Heigl, Seth Rogen, Paul Rudd,  Jonah Hill, Leslie Mann
Sinopse: Um cara fracassado e pouco atraente fica bêbado com os amigos numa festa e tira a sorte grande com uma mulher mais bêbada ainda. Meses depois ela aparece grávida e eles tentam lidar com o “problema.”

[Comédia]

>>> Muitos têm feito alarde sobre a dita “comédia adulta” de Apatow. Esse alarde é exacerbado. Tá certo que a situação é uma coisa bem adulta (ou não, mas se fosse uma adolescente grávida o filme seria de drama), mas a maioria dos personagens (os amigos de Ben Stone, principalmente) têm comportamento típico de filme adolescente. Polêmicas à parte, o filme tem ótimos diálogos, sim, e situações engraçadas. Seth Rogen tem um carisma muito característico, além de uma boa química com Ketherine Heigl, o que não faz o filme deixar de valer a pena. É só assistir como uma comédia qualquer, não como um potencial clássico de humor.

Filme: 8.0
Extras: 8.5 – o material extra é de primeira, com várias boas cenas excluídas, mini-documentários e piadas internas de produção.

{{Curiosidades}}
– O título do filme na Rússia é “Um Pouquinho Grávidos”. Como assim?? Como pode ser estar “Um pouquinho” ou “ligeiramente” grávido? Esse povo do título não entende, mesmo.
– A maioria dos diálogos foi improvisado pelos atores ou ditado por Judd Apatow poucos momentos antes de gravarem.

Extermínio 2

"Queima de estoque na C&A!"

"Queima de estoque na C&A!"

28 Weeks Later (2007)

Direção: Juan Carlos Fresnadillo
Elenco: Robert Carlyle, Catherine McCormack, Rose Byrne, Harrold Perrineau, Jeremy Renner
Sinopse: Um vírus que bestializou boa parte da população londrina parecia finalmente estar sob controle, mas um bando de mortos-vivos sedentos de sangue correndo pelas ruas provam o contrário.

[Terror]

>>> Seria mais do mesmo se não se preocupasse em mostrar algo além de morte e vísceras. O filme tem bons personagens e a história que deslancha a trama é interessante. A troca de protagonistas deixa o espectador meio perdido, mas também acaba funcionando. A câmera nervosa de Juan Carlos Fresnadillo é outro ponto alto, contribuindo muito para o clima de desespero em determinadas cenas que acontecem nos momentos certos. Fresnadillo também faz um trabalho melhor que Danny Boyle escolhendo o clima cinzento ao invés de toda aquela névoa incômoda do original.

Filme: 8.0
Extras: Não Avaliados

{{Curiosidades}}
– A fazenda onde Don e Alice se escondem no começo do filme é a mesma que aparece em Filhos da Esperança (2006).
De acordo com o diretor, o compositor John Murphy só teve duas semanas para compor toda a trilha do filme.

A Fúria

hewasaquietman_01-706973

He Was a Quiet Man (2007)

Direção: Frank A. Capello
Elenco: Christian Slater, Elisha Cuthbert, William H. Macy, Cristina Lawson
Sinopse: Um homem cansado da vida no escritório e irritado com todos ao seu redor decide levar uma arma para o trabalho, matar todos e depois se suicidar. Ele só não contava que um colega de trabalho teria a mesma idéia.

[Drama/Comédia]

>>> Recheado de situações inusitadas e surreais, este filme é um sério candidato a filme cult que só erra em se preocupar demais com a qualidade da imagem. Se fosse mais cru, não daria para perceber que os efeitos especiais de baixo orçamento são tão toscos. Afora isso, vale a pena ver e se divertir com os peixes-consciência e a paranóia de Bob Maconel, que dá o tom e conduz o filme com coerência e brilhantismo.

Filme: 8.0
Extras:

{{Curiosidade/Erro}}
– Quando Bob é chamado para fazer terapia na sala de Gene Shelby, Gene pergunta se ele quer beber “uma pepsi, ou qualquer outra coisa.” As latinhas na mesa, contudo, são todas de Coca-Cola.

Steamboy

steamboy

Suchimuboi (2004)
Direção: Katsuhiro Otomo
Vozes de: Anne Suzuki, Masane Tsukayama, Katsuo Nakamura, Manami Knishi
Sinopse: Uma  família de inventores teme que suas invenções sejam usadas para o propósito errado na era da Revolução Industrial e usam todas as suas forças para impedir os gananciosos de corporações.

[Aventura/Animação]

>>> Interessantíssimo, mescla cenas de ação muito bem feitas com discussões críticas acerca de até aonde vai a ambição humana. Tem personagens deslocados, sim: as duas meninas que seriam as possíveis “pretendentes” do Steamboy não têm propósito nenhum na trama, mas dá para ignorar esse deslize face à trama ilusória com discursos muito, muito reais. Como se não fosse o bastante, os créditos finais eliminam qualquer tentação de se fazer uma continuação, mostrando para onde a história caminhou depois dos acontecimentos do filme.

Filme: 8.0
Extras: Não Avaliados

{{Curiosidade}}
– Quando Ray está andando pela cidade de Manchester no começo do filme, por alguns segundos Karl Marx e Friederich Engels podem ser vistos juntos na rua (Marx é o mais baixo com barba e cabelos brancos; Engels é o mais alto com um bigode). Os dois homens moravam na Inglaterra ná época em que o filme se passa.

O Libertino

libertine2

The Libertine (2005)

Direção: Lawrence Dunmore
Elenco: Johnny Depp, John Malkovich, Samantha Morton, Rosamund Pike, Stanley Townsend
Sinopse: A história de um monarca que não estava nem aí para o que as pessoas diziam, era promíscuo e queria mesmo era aproveitar a vida com o máximo de bebidas que pudesse tomar.

[Drama]

>>> O prólogo conquista o espectador no ato, embora sugira muito mais do que o filme mostra. Não que o filme seja ruim, longe disso – ele se desenrola com ritmo excelente e com um Johnny Depp sempre sendo uma atração à parte. A fotografia suja ajuda bastante na linguagem e o epílogo, tão bom quanto o prólogo, também sugere muito mais do que o longa ofereceu.

Filme: 8.0
Extras:

{{Curiosidades}}
– A maior parte do filme foi iluminada usando velas ao invés das convencionais luzes de cinema. 
– Diferente da maioria dos filmes de época, este foi filmado quase todo com uma câmera de mão. As duas cenas mais notáveis com uma câmera fixa são os dois panoramas no interior do teatro, o que foi feito intencionalmente. 

« Older entries