Crimes em Wonderland

"Por favor alguém me diga que é com papéis assim que se ganha o Oscar."

"Por favor alguém me diga que é com papéis assim que se ganha o Oscar."

Wonderland (2003)

Direção: James Cox
Elenco: Val Kilmer, Kate Bosworth, Josh Lucas, Michael Pitt, Lisa Kudrow
Sinopse: A história de como a vida de um ator pornô foi por água abaixo depois que sua carreira terminou e ele ficou mais viciado.

[Ação/Drama]

>>> A história é contada sem muita vontade e sem muito ritmo, além de ser fácil perceber exatamente onde os buracos na trama vão surgir. Tem algumas situações (e atuações) risíveis, mas nos vinte minutos finais uma investida de roteiro e reviravoltas chamam a atenção, mas aí é tarde demais.

Filme: 4.5
Extras: Não Avaliados

{Curiosidade}
– Gravado em apenas 18 dias e baseado em uma história real.

Anúncios

Justiça a Qualquer Preço

flock1

The Flock (2007)

Direção: Andrew Lau
Elenco: Richard Gere, Claire Danes, Avril Lavigne, Ray Wise, KaDee Strickland
Sinopse: Um oficial do governo intolerante no fim da carreira persegue estupradores e lida com eles a seus próprios métodos.

[Suspense]

>>> Começa com um jogo de imagens interessante, mas logo percebe-se que o diretor é que não soube como mediar a edição de imagens, com excesso de cortes em determinadas cenas e falta deles em outras. O filme também falha em capturar a atenção do espectador: as situações vão acontecendo e nada é relevante, talvez pela montagem fazer o longa parecer um longo trailer inconcluso e com vilões histéricos. Quem diabos gosta de um vilão histérico?

Filme: 4.5
Extras:

{{Curiosidade/Erro}}
– Quando Erroll está revirando as coisas de Vincent Dennison, ele abre uma revista pornô e passa uma página. A página seguinte é exatamente igual à anterior.

Luzes, Câmera, Ação

last-shot

The Last Shot (2003)

Direção: Jeff Nathanson
Elenco: Alec Baldwin, Matthew Broderick, Toni Collete
Sinopse: Para pegar um criminoso que aceita suborno de produtores de cinema, o FBI simula a produção de um filme para tentar prendê-lo.

[Comédia]

>>> Alec Baldwin e Matthew Broderick não funcionam juntos e nenhum dos dois têm o menor timing, por isso o espectador não ri com nenhum dos dois. A história começa sem muita força e nunca decola, de modo que fica-se esperando que as situações cômicas comecem, e quando parece que isso finalmente vai acontecer, o filme termina. A única coisa que vale a pena é Toni Collette, hilária como uma atriz famosa e maluca disposta a qualquer coisa para ficar com o papel principal.

Filme: 4.5
Extras: Não Avaliados

{{Curiosidade}}
– Baseado em uma história real de uma operação do FBI nos anos 1980. Durante toda a produção o criminoso George Muffly não tinha a mínima idéia de que o filme era falso.

Os Condenados

The Condemned (2007)
Direção: Scott Wiper
Elenco: Steve Austin, Vinnie Jones, Tory Mussett, Madeleine West
Sinopse: Nove pessoas que estão no corredor da morte são colocadas numa ilha para se matarem uns aos outros num reality show. Aquele que sobreviver fica livre da condenação.

[Ação/Suspense]

>>> A premissa sugere um filme cheio de suspense e intrigas, mas, no entanto, o filme escolhe o caminho de “fazer justiça” e, apesar de fazer um discurso (curto e) interessante sobre a TV e o que o espectador tolera assistir, perde o público com uns vinte minutos de história por cometer uma sucessão de erros e nunca se preocupar em corrigi-los.

Filme: 4.5
Extras: 2.0

{{Curiosidade}}
– Steve Austin se referia a Vinnie Jones como nº2 e Vinnie Jones se referia a Steve Austin como nº1 porque era assim que seus personagens foram numerados no filme.

Homem-Aranha 3

Spiderman 3 (2007)
Direção: Sam Raimi
Com: Tobey Maguire, Kirsten Dunst, James Franco, Thomas Haden Church, Topher Grace, Bryce Dallas Howard
Sinopse: Peter Parker se esforça para levar adiante a vida com Mary Jane e as responsabilidades como Cabeça de Teia até que novos vilões surgem para complicar ainda mais a sua vida.

[Ação/Aventura]

>>> Os personagens seguem rumos irritantes e previsíveis, e o roteiro continua a remoer histórias do passado que já deram tudo o que tinham de dar, mas dessa vez indo além e subestimando a inteligência do espectador com toda a história da morte do Tio “com-grandes-poderes-vêm-grandes- responsabilidades” Ben, inventando detalhes difíceis de serem engolidos. As cenas de ação são bem no estilo videogame – ou seja, sem muita verossimilhança – mas são divertidas, verdade seja dita. As mágoas e ambições dos personagens é que são ridículas. Eddie Brock: “Parker descobriu que eu sou um jornalista que agarra uma oportunidade de sucesso quando a vê, mesmo que não seja muito politicamente correta.” Ah, que coisa incomum e fora da realidade. Mas a pior é de Harry Osborn: “Ele me enganou então eu vou acabar com o namoro dele?!?” Que porcarias de argumentos são esses? As melhores coisas do filme são as atuações de Bryce Dallas Howard (Gwen Stacy) e Topher Grace (Eddie Brock), que são boas e trazem um diferencial para a franquia. As várias piadinhas que surgem ao longo da aventura também são muito boas, principalmente as envolvendo J.J. Jameson, mas convenhamos, um filme de ação ser uma ótima comédia não é exatamente um ponto positivo, é?

Filme: 4.0
Extras: Não Avaliados – apesar da edição ser dupla, depois do fiasco não dá nem vontade de conferir os extras. Talvez em outra oportunidade.

{{Curiosidade}}
– Kirsten Dunst, uma loira natural, interpreta a ruiva Mary Jane. Bryce Dallas Howard, uma ruiva natural, interpreta a loira Gwen Stacy.

As Férias de Mr. Bean

Mr. Bean’s Holiday (2007)
Direção: Steve Bendelack
Com: Rowan Atkinson, Stéphane Debac, Willem Dafoe, Steve Pemberton
Sinopse: O famoso personagem da série britânica de TV ganha uma viagem para Cannes, na França, e vive situações divertidas no trajeto.

[Comédia]

>>> Uma repetição exagerada das piadas e clichês do programa de TV com situações impossíveis demais até para o próprio Mr. Bean. O nonsense exagerado nunca fez parte da trama, e tudo que acontecia na TV aqui parece forçado e artificial. Excetuando uma boa tirada aqui e ali (como o hilário “filme” do Willem Dafoe) é melhor passar longe.

Filme: 4.0
Extras: Não Avaliados

{{Curiosidade}}
 – Rowan Atkinson anunciou que este filme é a última história vivida pelo personagem Mr. Bean.

Norbit

Norbit (2007)
Direção:
Brian Robbins
Com: Eddie Murphy, Eddie Murphy, Eddie Murphy, Thandie Newton, Cuba Gooding Jr.
Sinopse: Um negro órfão criado por um japonês racista cresce para ser escravo da enorme mulher que o escolheu como marido.

[Comédia]

>>> O filme se agarra com todas as forças em Eddie Murphy caracterizado como três personagens muito caricatos: Rasputia, Norbit e Mr. Wong. O humor pastelão sempre gera uma risadinha e todas as piadas envolvendo o ator como obeso estão lá. O grande problema é que a falta de roteiro e verossimilhança acaba fazendo cada vez mais falta à medida que o filme vai acontecendo. Isso sem falar que as piadas clichê repetidas à exaustão irritam mais que entretêm o espectador.

Filme: 4.0
Extras: 4.5

Fonte da Vida

The Fountain (2006)
Direção:
Darren Aronofsky
Com: Hugh Jackman, Rachel Weisz, Ellen Burstyn, Mark Margolis
Sinopse: Um guerreiro medieval em busca da imortalidade, um médico se esforçando para salvar sua esposa e um cara tentando… hum… salvar uma árvore.

[Drama/Ficção]

>>> Começa chato e sem sentido e, pasme, fica assim até o final. O mínimo sinal de interligação das histórias que o espectador tanto espera nunca acontece e os eventos do “futuro” são totalmente absurdos. Nada tem graça, nada se resolve e o filme fica com o ar de “quero-ser-cult-mas-não-tenho-roteiro-para- isso.” A química de Hugh Jackman e Rachel Weisz não é das melhores, e a fotografia, infeliz. A única coisa que vale a pena é pensar que o longa vai ter um desenvolvimento apropriado, mesmo que para se frustrar depois.

Filme: 4.0
Extras: 3.0

Terror em Silent Hill

Silent Hill (2006)
Direção:
Christophe Gans
Sinopse: Quando sua filha tem pesadelos intermináveis com um lugar chamado Silent Hill, Rose, sua mãe, decide levá-la à cidade fantasma para ver o que há por lá.
[Suspense/Terror]

Os primeiros quarenta minutos do filme devem ser respeitados, pois o diretor opta por atacar o psicológico do espectador e não recorrer ao óbvio, além de não tentar nenhum susto desnecessário. O início ainda pode se gabar de ter ótima fotografia, coisa rara em filme de horror. Depois dos quarenta minutos, contudo, o roteiro fica muito preguiçoso e se rende ao óbvio com monstros feios, garotinhas malvadas que fazem alusão ao demônio, sustos gratuitos e uma explicação óbvia de história que resulta num final muito do insosso.

Filme: 4.5
Extras: N.A.

Quem Somos Nós?

What the Bleep Do We Know? (2004)
Direção:
William Arntz, Betsy Chasse, Mark Vicente
Sinopse: Uma discussão e análise sobre as perguntas mais pertinentes da humanidade: de onde viemos? Para onde vamos? Aonde vamos almoçar hoje?
[Documentário]

O documentário é mais confuso e desconexo que o assunto que trata. Um bando de Ph.Ds jogam suas idéias na tela sem sintonia alguma, e confundem a quem assiste. Assim, para “ajudar no entendimento”, uma historinha corrobora os comentários, mas a ela é tão idiota e trata o espectador como se fosse tão ameba que dá ódio e faz pensar que é melhor ficar na eterna dúvida sobre o assunto mesmo.

Filme: 4.0
Extras: 0.0! [Para fazer parecer que o espectador é ainda mais idiota, depois de ouvir a opinião de todos os Ph.Ds, os extras fornecem entrevistas com as mesmas pessoas falando as mesmas coisas. Por favor…]

« Older entries